segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Pastores: ótimos referenciais, péssimos deuses.


Vamu lá, crente...cê não tem opinião??
Então deixe um comentário no final do post, ok?


post criado em 30/09/2008

Todo esse questionamento dentro de mim, essa necessidade de me ver inteira, esse grito de alma para ter o direito de ser “gente”, junto com o privilégio de ser Pastora, começou em 2006.
Antes disso eu não imaginava que um dia precisaria explicar através de atitudes - nem sempre equilibradas - que sou uma pessoa como qualquer outra: que chora, que ri, que tem sentimentos, dúvidas, medos, fraquezas, cansaço…
De quem foi a culpa por não terem entendido isso antes?

Não houve apenas 1 culpado, mas circunstâncias diversas que contribuiram para consolidar o conceito velado de que Pastor é de ferro, e de que o infeliz não tem o direito de NÃO SER a quarta pessoa da Trindade. 

“Não…Pastores não podem ser iguais a qualquer um – pensam muitos - essa raça tem que ser mais perfeita, tem que estar acima da média, ser o que nenhum crente consegue ser, andar de capa e botas de super-herói e voar de vez em quando!"

Não pretendo fazer apologia a respeito dos meus sentimentos, mas quer saber, se você não concordar crie um blog pra você, “vossa santidade”, e coloque lá as suas ideinhas, “pris”.
Te digo só uma coisa: só quem sentiu na pele a ardência dessa queimadura é que sabe o valor do velho e bom Caladryl (espiritual, claro).
Bem, voltemos aos culpados! Foram tantos, mas acho melhor me colocar no topo dessa lista negra.


 
Culpado 1: EU
É…”mon ami”, euzinha mesmo. Passei pela fase de olhar só para fora, buscar canibalmente um culpado, qualquer um, contanto que não fosse eu. 
Contudo, tive que parar de correr para admitir que também fiz parte da montagem dessa mentalidade esquizofrênica nos crentes.
Eu e mais ninguém tinha permitido que uma porção de gente fosse carcereira da masmorra gelada de perfeição onde eu estava presa.
Investi muitos anos na construção daquilo que eu achava que devia ser uma Pastora de verdade, uma boa Pastora. Sempre quis dar o meu máximo, sempre.
Não poder, não conseguir, não querer eram palavras inaceitáveis para mim. Não, eu nunca faria dessa forma, todos os outros sim, mas eu não.
Minhas madrugadas, meus dias, meus feriados? Nunca eram realmente meus, eram de todo mundo e mais um tanto.
Minha saúde? Um luxo desnecessário, frescura de dondoca que não quer servir o próximo, aleluia!
Cansaço? Hahahahaaaaaaa….nem se comente aqui um sacrilégio destes.
Privacidade? Quequéisso, meu filho? 

Pra resumir:

*Me propor a ser mãe de todo órfão,

*filha de todo pai decepcionado,

*irmã de todo mundo,

*marido de toda a mulher abandonada,

*amiga de toda a chata,

*mulher do meu marido,

*mãe das minhas filhas,

*irmã das minhas irmãs,

*filha da minha mãe,

*excelente dona de casa,

*funcionária pública incansável a 24 anos,

*mulher de oração/adoração/Palavra, conselheira paciente, visitadora pontual, apartadora de encrencas (desculpe, quis dizer pacificadora), líder do ministério de Louvor/Coral/Teatro, líder de uma porção de outras líderes (que tinham outras necessidades), ter cabelos impecáveis, conseguir ir 1 vez por mês fazer manutenção no aparelho dentário etc…etc…etc…

ESSAS E MUITAS OUTRAS COISAS FIZERAM DE MIM UM SACRIFÍCIO LITERALMENTE VIVO

…A DEUSA QUEBRA-GALHO QUE TODO IDÓLATRA DE SERPENTE LEVANTADA NO DESERTO GOSTARIA DE TER,

…A SUPER HEROÍNA DE MEIA TIGELA, SAÍDA DA IMAGINAÇÃO DE UMA IDIOTA: EU!!!

Mas, sabe o que me fez cair das nuvens de verdade?

Saber que o meu máximo não foi suficiente para as pessoas a quem mais me dei
Ouvir que eu precisava ter sido mais e melhor
Ver os olhos famintos e a respiração ofegante das sanguessugas gospel, sedentas por um pouco mais do meu sangue.
Isso doeu, doeu muito.


Você que lê pode pensar que desenvolver esse comportamento perfeccionista é para tolos e que permitir tanto abuso é incompreensível, mas quem sabe, se for honesto consigo mesmo e olhar-se no espelho, você não descubra que está numa destas 2 posições:
1-De ser parte dessa gente que vê no Pastor um profissional obrigado a ser competente. Da corja que o chama de “amigo e irmão”, mas que despeja nele toda a expectativa de possuir um deus particular.
2-De ser esse homem/mulher de Deus que, no anseio de ser bom naquilo que faz, acaba ocupando um lugar que nunca foi e nunca será seu: o lugar de Deus.



6 comentários:

Anônimo disse...

Ser este pastor perfeito, para mim foi: primeiro um sonho, depois um alvo, depois, motivo de incertezas, mais depois ainda, motivo de luta interior, e por fim, um baita stress, do qual ainda estou tentando sair às duras penas.
Obrigado Pastoragente!!!!

Carlinhos (tentando ser pastor gente)

Pastoragente disse...

Querido Pastor Anônimo, queria muito te responder diretamente, mas infelizmente vc não deixou como contactar.
Foi comovente ler seu depoimento, simplesmente porque me comovo com sinceridade e simplicidade.
Amado, eu tenho certeza que vc vai ficar bem e cada vez melhor à medida que se reconhece como ser humano.
Passei por coisas que nunca coloquei aqui no Blog, ainda não é momento, mas senti suas palavras como se fosse comigo!
Vc vai se erguer, deixando cair primeiro em vc mesmo esse ícone que fizeram da gente, e depois passando devagar para as pessoas as suas limitações.
Meu e-mail é pra.roselaine@hotmail.com, entre em contato para a gente trocar experiências.
Abraço em Cristo.

Elaine Aguiar disse...

A Paz, "super Pastora" hehehehe!Super, porque não é qualquer pastor que tem coragem de admitir suas fraquezas, limites e desejos. Muitos não abrem mão de sua capa de super-herói, até porque podem perder seus fãs!
Deus tem confirmado o chamado pastoral em minha vida, e por este motivo já tenho meditado muito sobre o aspecto das expectativas das ovelhas e de Deus.
Atualmente as pessoas estão em busca de fast-food espiritual, não querem orar, ler a bíblia, aceitar correções...Muitas vão em busca das soluções imediatas para SEUS problemas, e AI do pastor que não atender as suas expectativas e não conseguir criar soluções!!!É bem possível que você seja destituída do cargo de liderança por não atender as expectativas de suas ovelhas clientes!
Ao mesmo tempo, existem muitos pastores que acostumam mal suas ovelhas e depois ficam com dificuldades para impor limites.
Que o Senhor continue te dando direção e sabedoria, do mundo REAL e que suas ovelhas possam compreendê-la e ajudá-la quando precisar.
Cumpra o seu papel de profissiinal, esposa, mãe e pastora (ufa)...O resto Jesus cuida. Pois o fardo dele é leve!
abs

Anônimo disse...

Graça e paz...

Hoje por acaso descobri o seu blog e foi muito bom para mim ler seu testemunho e desabafo, pois venho passando momentos ministeriais dificeis, justamente porque me sinto tao cobrada, para ser a pastora perfeita, e descobri que "EU" sou uma das principais responsáveis por isso estar acontecendo.Porque por mais que façamos, para as pessoas nunca será o suficiente,(porque quero ser perfeita?) o que mais me entristece, sao as "ovelhas" que te amam, enquanto atendemos todas as suas expectativas, e lhe dao as costas quando o pasto do outro está aparentemente mais verde.
Eu praticamente nao conseguia ter vontade nem de ir na igreja, era um martirio para mim os dias de culto, chorava, ficava mal,estava ficando com raiva das pessoas, e quase fiquei em depressao, até meu estado fisico ficou abalado. Estava confusa, amo a Deus mas nao conseguia mais amar as pessoas, me senti usada,etc.
Mas me rendi a graça de Deus e aos poucos, vou me recuperando e fazendo uma coisa de cada vez, e me mostrando como sou, gostem ou nao, e nao abrindo mao da visao de Deus, da graça e do perdao a cada dia, para atender as expectativas dos outros.O Evangelho nao é isso! Até Jesus precisou de um ombro amigo, até Ele chorou!Ainda nao tenho nenhuma amiga crista que me compreenda ou que eu possa me abrir, porque infelizmente, se nos abrimos com outros pastores, muitos usao contra nós o que falamos.Triste, mas real.Esse espaço no seu blog, nos ajuda a compartilhar com outros pastores e pastoras nossas angústias e questionamentos.
Mas eu sei, que o poder de Deus se manifesta nas minhas fraquezas, e a cada dia, aprendo o que è pastorear de verdade e nao esse status e ilusoes que sao impostos.

Abraços

Blog da Pastoragente disse...

Pastora anônima, deixe-me seu e-mail se desejar conversar mais vezes.
O meu é : pra.roselaine@hotmail.com.
Te entendo profundamente e o que temos de melhor a fazer é nos ajudarmos mutuamente a caminhar em ânimo e graça.
Forte abraço.

Érica disse...

Roselaine,
seu testemunho é fantástico e muito confortador.
Em outros tempos você visitou e comentou meu blog. Eventualmente, também leio o seu. Confesso que tenho um certo fascínio por testemunhos de como Deus trata conosco acerca da nossa fragilidade e humanidade.
Fico feliz em saber que a cada dia você se torna mais "gente".
Que Deus a abençoe,
Érica